Tecnologia, crédito e vocação – os três elementos, reunidos, explicam porque a região de Campos Gerais, no Paraná, vem conquistando posição de destaque dentro do cenário do agronegócio brasileiro.

 

Os produtores locais, fortemente ancorados por cooperativas e adeptos de métodos revolucionários de produção, colheram 2,99 milhões de toneladas de milho, feijão e soja e agora se preparam para sediar a Agroleite, o maior evento do setor, no local onde ele é mais forte: a bacia leiteira da região é a mais importante do país, produzindo mais de 255 milhões de leite em 2016, segundo dados do IBGE.

Também no segmento do leite, a tríade do agronegócio paranaense se repete: a produtividade foi avalancada por crédito e tecnologia, aproveitando a vocação natural da região para a criação de animais.

Aline Sleutjes apoia o agronegócio e o cooperativismo

O modelo de gestão está presente nas propriedades produtoras. E se reflete na balança comercial de Campos Gerais.
De acordo com o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, de janeiro a julho, o saldo positivo foi de US$ 76,4 milhões, que coloca o município em 5º lugar no ranking dos exportadores estaduais.

 

Solo bom para inovações

 

O acesso a novas tecnologias é motivo de orgulho para os produtores de Campos Gerais. Eles costumam dizer que os investimentos em tecnologia normalmente começam por lá – e, se funcionarem, são adotados em outras regiões do país.

Não estão exagerando: todos os anos, saem da região soluções para os problemas que estão sendo encontrados no campo, tanto em agricultura quanto em pecuária – o que rende aos produtores o rótulo (muito bem vindo) de pioneiros.

“É um Brasil que dá certo, que dá frutos e que precisa ser cuidado, protegido”, avalia a deputada federal Aline Sleutjes, que chegou à Câmara Federal como representante do agronegócio e das cooperativas.

Inseridas em comissão que atuam no setor agrícola, ela tem levado demandas do setor ao legislativo. Uma delas, é o fim da dupla tributação do Funrural, que encarece os custos de produção.

“Esta é uma bandeira que vou levar ao longo de todo o meu mandato, pois estes e homens e mulheres são realmente responsáveis por mover engrenagens importantes do país”, finalizou a deputada.

 

 

 

 

Subscribe
Notify of
guest