A deputada federal Aline Sleutjes se posicionou nestas últimas semanas em suas redes sociais, contra o fechamento do comércio, em um momento onde a maioria dos governadores decretou lockdown nos estados brasileiros. Segundo a parlamentar, os decretos impostos prejudicam principalmente os pequenos e médios empresários e autônomos, porque na maioria das vezes é a única fonte de renda dessas famílias.

“É preciso proteger os nossos comerciantes das terríveis consequências geradas pelo lockdown. Tenho recebido muitos pedidos pessoalmente, por áudio e pelas minhas redes sociais, para interceder a favor dos trabalhadores. Lockdown não funciona e fechar as portas é uma sentença de morte para a economia e para as famílias”, disse a deputada.

A deputada paranaense fez uma LIVE no último sábado (6) em que ouviu o vereador de Castro, Rafael Rabbers (PTC-PR), que se destacou por lutar fortemente contra o lockdown na cidade. Rabbers explicou que se reuniu com os comerciantes de Castro e tentou agir para barrar o lockdown.

“Nós fizemos uma petição para tentar impetrar uma liminar no Judiciário e reverter esse lockdown. A cada dia que o comércio fica fechado, é um dia a menos de faturamento. Isso no começo do mês é ainda mais grave, porque é neste período que ocorre o maior fluxo de caixa. Infelizmente nosso pedido foi indeferido, mas a gente tentou’, lamentou o vereador.

A advogada especialista em Direito previdenciário e representante da ACECASTRO, associação dos comerciantes, Dra. Bianca Regina Rodrigues Mariano, também participou da transmissão e trouxe informações técnicas sobre os decretos. Como representante dos empresários de Castro, ela pontuou como a instituição está trabalhando junto às instâncias de poder municipal.

“A Associação vem lutando por um ponto de equilíbrio entre a saúde e a sobrevivência dos comerciantes, até porque, situações jurídicas nunca antes previstas estão acontecendo. No último ano, na nossa rua principal, que é a Dr. Jorge, diversas lojas foram fechadas porque não conseguiram sobreviver. Tudo isso é muito preocupante”, disse Dra. Bianca durante a transmissão.

Dois comerciantes castrenses também participaram da live. Ambos falaram sobre o que realmente é essencial, para eles os serviços hoje considerados “não essenciais” e que tiveram que fechar as portas, estão sofrendo, prejudicando a vida e o sustento de centenas de Castrenses. Guilherme Mierlo e Hoberson Henning, deram depoimentos e contaram como estão sendo prejudicados.

Censurada

Devido a tamanha repercussão da live, mais de 91 mil pessoas foram alcançadas pela transmissão até o momento , a deputada teve o vídeo retirado do Youtube sob a alegação de violar as regras da plataforma.

“Infelizmente vemos que a censura está sendo imposta e limitando a liberdade de expressão em nosso País, é algo cada dia mais corriqueiro. Não me calarei diante das injustiças e principalmente diante dos absurdos que vem acontecendo em nosso país, e em nosso Estado. Trabalhadores estão sendo tratados como criminosos e isso não é o admissível”, reforçou.

A parlamentar informou que irá procurar os meios legais para que o vídeo volte a ser exibido na plataforma.

2º episódio da Série ESSENCIAIS

Além das transmissões ao vivo, Aline Sleutjes estreou nesta sexta-feira (5), em seu canal do Youtube, a série ESSENCIAIS, que já está no segundo episódio. Ela tem o objetivo de mostrar a realidade dos comerciantes autônomos e empresários, que estão sofrendo as consequências do Lockdown decretado na maioria dos municípios brasileiros.

Segundo a deputada, o objetivo é revelar a crueldade por trás da politização da pandemia e a verdadeira intenção de alguns governadores e prefeitos em fechar as portas do comércio.

“Os governadores estão tirando a dignidade das pessoas. A pergunta que faço é: Deveriam ser eles, aqueles que decidem os critérios utilizados para definir o que é essencial ou não? Eu acredito que não, estas decisões não afetam só uma classe ou atividade, mais várias, que dependem uma das outras para sobreviverem. Não podemos aceitar novamente o fechamento das lojas e deixar as famílias passarem dificuldades ”, disse.

O segundo episódio da série ESSENCIAIS mostra a história do Leonardo Sechaus, do Rio Grande do Sul, que foi preso, porque abriu a sua sorveteria na pandemia. O trabalhador foi algemado, atirado ao chão e tratado como bandido por ter cometido o “crime” de estar trabalhando.

“Espero que esta série ajude a conscientizar e a mostrar a realidade de quem mais sofre com o lockdown. Farei tudo o que estiver ao meu alcance para reverter esse cenário triste da nossa história. É possível combater o vírus, sem deixar milhões de desempregados. Lockdown não é a solução, até mesmo a OMS já alertou que LockDown ” só serve para deixar o pobre mais pobre”.
Precisamos respeitar os direitos constitucionais dos cidadãos, saúde, educação, emprego e dignidade porque são direitos fundamentais de cada cidadão brasileiro”, concluiu.

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edna Mattos
Edna Mattos
1 mês atrás

Todo esse trabalho e dedicação só nos fortalecer por saber que temos uma representante que está a favor do progresso e do bem comum. Parabéns deputada Aline pelo excelente trabalho!