Em sessão da Comissão da Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural o Secretário Norberto Ortigara falou sobre os benefícios que o Paraná terá com a certificação

Em cerimônia nesta terça (15) com a presença do Governador Ratinho e do Secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, a Ministra Tereza Cristina assinou instrução normativa que autoriza a retirada de vacinação contra a febre aftosa no estado do Paraná. Sem a obrigatoriedade de comprar vacinas, se espera uma economia de R$30 milhões para os produtores de carne, o que significa mais investimentos na produção, empregos e aumento de competitividade para exportação.

 

A Deputada paranaense Aline Sleutjes-PSL/PR, integrante da bancada do agro, comemorou a conquista do estado e lembrou que os benefícios do status vão além dos financeiros. ” Economicamente é uma medida importante porque dá perspectivas de investimentos para os produtores mas o mais importante é a mensagem que passamos para o mundo. Agora reforçamos uma imagem de mercado de produção saudável e confiável para poder exportar “.

 

O Paraná, que já teve mais de 10 mil focos de febre aftosa, não tem um foco da doença desde 2006. Atualmente somente Santa Catarina tinha essa certificação no Brasil. A expectativa de aumento na produção de carne e exportação já começam a tomar forma, como no caso da carne suína. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná calculou que, com o reconhecimento do estado, será possível quase que dobrar as exportações dessa proteína dos atuais 107 mil toneladas para 200 mil toneladas ao ano.

 

Subscribe
Notify of
guest