Nesta quarta-feira, 22, a Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina – Alesc acolheu o pedido de impeachment do governador Carlos Moisés e da vice-governadora Daniela Reinehr, por suposto crime de responsabilidade no caso do aumento salarial aos procuradores do estado.

“Justiça é: Moisés sai, Daniela fica!”, defendeu a deputada federal paranaense Aline Sleutjes.

O deputado federal Coronel Armando também se posicionou sobre o assunto:

“Sempre defenderei que se faça justiça, e me solidarizo ainda mais quando este caso ocorre no meu estado, por isso espero que os deputados estaduais analisem com critérios exclusivamente técnicos. Porém, em minha opinião, este processo já se inicia com um detalhe que não vem de acordo com o que acredito ser o mais justo. Me refiro à inclusão da vice-governadora Daniela Reinehr no processo de impeachment”, escreveu o parlamentar em uma rede social.

O deputado complementou:

“Caso venha a ser comprovado o crime de responsabilidade cometido pelo governador Carlos Moisés, convenhamos que não é prudente incluir uma punição à vice-governadora, ainda mais quando esse ‘preço a se pagar’ é a perda do mandato, desconsiderando os 2.644.179 votos que escolheram esta chapa para governar o estado”, informou o federal de Santa Cataria, que disse mencionar um documento de autoria do Ministério Público de estado que isenta a vice-governadora do crime de responsabilidade.

“Espero que a verdadeira justiça seja feita, e que aqueles que venham a ter errado paguem por isso, e que quem não tiver relação com este possível crime, que venha a ser inocentado!
Brasil acima de tudo e Deus acima de todos!”, finalizou Armando.

Foto: reprodução da Internet/Crédito obrigatório

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments