A deputada federal Aline Sleutjes realiza, a partir das 19h deste sábado, 4, transmissão ao vivo, por meio de sua página oficial no Facebook, para destacar como foi a semana de trabalhos no Congresso Nacional e em suas bases no estado. Durante a live, a parlamentar paranaense vai conversar com os donos de uma fazenda de plantio de trigo, no município Catanduvas, perto de Cascavel, que sofreu tentativa de invasão por um grupo de cerca de 60 sem-terra, na última semana.

A vice-líder do Governo na Câmara chegou a gravar um vídeo, publicado em suas redes sociais oficiais (https://bit.ly/31LMkQW), falando sobre o caso, e acrescentou que tem projeto de lei de sua autoria, o nº 5040/2019 (https://bit.ly/38qAtc6), que trata sobre o endurecimento de pena para invasores de propriedades privadas produtivas.

“O dono da fazenda relatou que passou por momentos de pânico durante a última tentativa de invasão. Ele contou que teve celulares e outros pertences roubados pelo bando de sem-terra, que chegou a atirar contra o veículo onde estava a família dele. A Polícia Militar foi acionada e, chegando ao local, apreendeu com os invasores facas, facões, carabinas, espingardas e revólveres calibre 38. Isso é inaceitável! Quem integra esses grupos se diz trabalhador e usa o discurso da busca por uma oportunidade, mas quem quer mesmo trabalhar e é honesto não tenta tomar propriedade alheia à força, e não ameaça ninguém!”, declarou Sleutjes.

O agricultor Jackson Boeno é o dono da fazenda onde aconteceu a tentativa de invasão. Segundo ele, o local pertence à sua família desde 1981, e a atividade principal é o plantio e comércio de trigo. Boeno contou que o terreno vizinho de sua propriedade foi tomado por sem-terra no ano de 2008 e, desde então, as tentativas de invasão de sua área são constantes.

“Nós geramos empregos, produzimos e honramos os impostos. Foi uma luta de cerca de 40 anos para pagar pela propriedade da fazenda. Há mais de uma década somos ameaçados pelos sem-terra, não temos paz. Tivemos que recorrer à segurança particular para nos proteger, e acionamos com frequência a PM. Precisamos dar um basta nessa situação, não aguentamos mais viver com medo”, desabafou o agricultor.

Além de Boeno, o genro dele, o empresário Gabriel Luvison, vai participar da transmissão ao vivo com a deputada federal na noite deste sábado. De acordo com Luvison, a área vizinha da fazenda que foi invadida teria até mesmo uma parte arrendada pelo líder do bando de sem-terra. O grupo que na última semana tentou entrar à força na propriedade de Jackson Bueno alegou que a ação visava forçar uma reunião com um representante do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, o Incra.

“Em um vídeo, meu sogro fez um apelo, e se emocionou: pediu que os políticos do bem olhem pelos agricultores”, disse Gabriel Luvison.

Dados sobre reforma agrária no Brasil: 

Segundo o Incra, o Brasil possui 9.437 assentamentos reconhecidos, ocupando uma área de 87.953.588 hectares. O número de famílias assentadas chega a 1.348.484. No Paraná, levantamento do Incra, de 2017, aponta que existem 18772 famílias assentadas, em 329 unidades agrícolas estabelecidas pelo órgão.

Fotos de arquivo pessoal (Gabriel Luvison)/Crédito obrigatório


Subscribe
Notify of
guest